Bancos vão ser obrigados a aplicar taxas negativas nos créditos

Escrito por Conselhos do Consultor

31.03.16

}
2 min de leitura

Está em cima da mesa aprovação de uma lei que obriga os bancos a aplicarem taxas negativas nos créditos. A medida deverá entrar em vigor já no próximo mês.

O banco apenas cobra o chamado spread que é a margem de lucro do banco. Se o spread for muito baixo, a taxa negativa pode até anular o custo do cliente em relação ao banco. Mas, até agora, nunca poderá ficar abaixo de 0%.
Com a futura iniciativa do Governo, o banco será obrigado a descontar a taxa negativa ao spread e, no limite, se a taxa negativa superar o valor do spread o banco será forçado a aplicar um valor negativo aos empréstimos.
É um cenário mais provável para os créditos à habitação mais antigos e com spreads baixos, inferiores a 1%.
Nesses casos, a taxa negativa pode não só anular o spread, como o poderá superar e o cliente que hoje praticamente apenas amortiza o capital em dívida passa a ter uma ajuda acrescida do banco para pagar o empréstimo.
A ideia já mereceu a crítica da Associação Portuguesa de Bancos, ontem ouvida no Parlamento, uma vez que os bancos obrigados a refletir as taxas negativas nos créditos. Não poderão fazer o mesmo nos depósitos, uma vez que o banco de Portugal impede a aplicação de taxas negativas nos depósitos bancários.
A medida já tinha sido proposta pelo ps no ano passado, acabando chumbada pela maioria PSD/CDS.
Agora, a iniciativa partiu do Bloco de Esquerda e já conta com o apoio do PS e do PCP, tendo já sido votada na generalidade. A iniciativa avança em breve e deverá entrar em vigor no prazo de 1 mês.
Fonte: TVI24

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes

Comentar

Outros Conselhos do Consultor

0 comentários

Trackbacks/Pingbacks

  1. Bankinter arranca com spreads desde 1,5% - Conselhos do Consultor - Conselhos Financeiros, Créditos, Seguros,... - […] 1,5%*”, conforme se pode ler no site do Bankinter. E reflecte também a tão aguardada “taxa negativa” como podemos […]

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *