Seguro de Saúde e Vida: o que pode agravar o prémio?

Escrito por Conselhos do Consultor

16.12.20

}
5 min de leitura

Se tem maus hábitos para a sua saúde como fumar, ter peso a mais ou ingerir demasiado álcool, saiba que isso pode significar um agravamento do prémio do Seguro de Saúde ou de Vida.

Ter hábitos saudáveis, não só é bom para a sua saúde, como para a sua carteira. Se pensa em aderir a um Seguro de Saúde ou de Vida, é importante que saiba que terá de responder a um questionário médico e que, determinados comportamentos como beber de mais, fumar, não praticar desporto e até ter as tensões elevadas, podem agravar o prémio dos seguros.
Saiba que, no caso de existir um problema de saúde já diagnosticado ou de haver maior probabilidade de vir a existir, as seguradoras, não só agravam o prémio, como podem excluir as despesas de tratamento relativas ao problema existente (no seguro de saúde) ou de invalidez ou morte resultantes da doença (no seguro de vida). No pior dos cenários, o seguro não é aceite.
De acordo com a informação disponibilizada pela DECO, estes são os fatores que podem agravar o prémio de Seguro de Saúde ou de Vida:

1.TABAGISMO

O consumo de tabaco é prejudicial para a saúde, isso não é certamente uma novidade para si. Aliás, é uma das causas de morte por doença cardiovascular ou por tumores malignos. Por essa razão, é normal que as seguradoras tenham isso em consideração.
Se for fumador, não estranhe se lhe perguntarem o número de cigarros que fuma por dia. Mediante o seu comportamento enquanto fumador, poderá haver um agravamento do prémio do seguro de saúde ou vida. 

2. ALCOOLISMO 

Tal como o tabaco, a ingestão de álcool em excesso também traz vários malefícios para a saúde. A cirrose hepática é talvez o problema mais associado ao álcool, mas é de conhecimento geral que o álcool também afeta o sistema nervoso e aumenta a probabilidade de problemas oncológicos.
Por isso, quando preenche uma proposta de seguro de vida ou de saúde, o candidato tem de indicar a quantidade e o tipo de bebidas alcoólicas que ingere diariamente. De acordo com a DECO, a seguradora pode até exigir a realização de exames complementares para avaliar o seu estado de saúde atual.
_
Leia também: 6 Mitos sobre Seguro de Saúde

3. TENSÃO ARTERIAL

A tensão arterial serve de indicador para o seu estado de saúde atual. Há uma relação direta entre a tensão arterial e as doenças cardiovasculares. Por essa razão, é preciso indicar valor da tensão arterial nos questionários de saúde.
Para valores até 14/9, não se aplica o agravamento do prémio. Contudo, acima desses valores, as seguradoras podem considerar o candidato como hipertenso, o que implica consequências negativas no prémio.

4. ÍNDICE DE MASSA CORPORAL

Quer saber como calcular o seu índice de massa corporal (IMC)? Divida o peso pela altura ao quadrado (kg/m^2). Por exemplo: 65kg a dividir por 3.3 m^2 (1.65m x 2). Ou seja, o IMC é de 19.7.
Mediante o seu resultado de IMC, a seguradora consegue concluir se está perante um candidato com peso a mais ou menos. Ambas as situações podem implicar o agravamento do prémio. 
Os valores considerados normais situam-se entre os 18,5 e os 25, no caso das mulheres, e entre os 20 e os 25, no dos homens. Conforme indica a DECO, para valores acima ou abaixo dos valores de referência, “as seguradoras aplicam várias percentagens de agravamento, que poderão chegar aos 300 por cento. A maioria das seguradoras recusa o seguro para valores inferiores a 15 e superiores a 47.”
_
Leia também: Seguro e Plano de Saúde – Qual é a diferença?

5. GENÉTICA

A genética entra aqui com um indicador da probabilidade do candidato contrair uma determinada doença. Doenças como diabetes, epilepsia, doenças cardiovasculares e até alguns tipos de doenças oncológicas, podem estar presentes no historial da família, o que para as seguradores é um alerta. Esta informação para as seguradores seria importante para reduzir os riscos associados ao candidato, recusando o seguro. Mas isto levanta problemas éticos pois muitos portugueses teriam o seu seguro de saúde ou de vida recusado.
Tal como indica a DECO, “a lei proíbe a utilização de informação genética para aceitar ou recusar um seguro ou determinar a tarifa. As seguradoras estão assim proibidas de pedir a realização de testes genéticos ou de usar na análise do risco a informação de testes previamente realizados.”
Contudo, apesar da seguradora não ter essa informação como critério para recusar o seguro de vida ou de saúde, o que acontece na prática é que muitas questionam na mesma sobre o histórico de saúde da família.
_
Leia também: As várias coberturas do Seguro de Vida – Crédito Habitação

6. HISTORIAL CLÍNICO

Deve indicar no questionário médico todo o seu historial clínico ou seja, todas as doenças já existentes.
No caso de já ter uma ou mais doenças diagnosticadas, será necessário descrever com detalhe a doença, órgãos atingidos e respetivos tratamentos. Conte que, neste caso, a seguradora irá excluir a cobertura do seguro de qualquer sinistro relacionado com a doença existente. 
_
Leia também: Seguro de Vida do Credito Habitação – Dúvidas

Seguro de Saúde e de Vida – Cuide da sua saúde e da sua carteira!

De todos os fatores que enumerámos, existem alguns que não estão ao seu alcance mudar. Porém, a grande maioria pode ser evitada. Se adotar comportamentos mais saudáveis, estará a garantir, não só um prémio dos seguros mais em conta, como também a zelar pela sua saúde. Aliás, este deverá ser sempre o principal motivo para adotar comportamentos mais saudáveis.
Para além destes principais fatores que enumerámos, fatores como o sedentarismo, por exemplo, também podem contribuir para o agravamento do prémio dada a sua relação direta com várias doenças.
_
Leia também: 7 Dicas a ter em conta antes de escolher um Seguro de Saúde

Publicidade

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes

Publicidade

Comentar

Publicidade

Outros Conselhos do Consultor

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *