11 Conselhos de poupança para quem ganha pouco

Escrito por Conselhos do Consultor

05.03.21

}
9 min de leitura
Poupar com Pouco

Para quem tem um rendimento baixo e apertado para as despesas diárias, poupar pode ser um desafio. Porém, há algumas estratégias que o podem ajudar.

A tarefa de poupar para quem ganha pouco é muitas vezes colocada de lado pela crença de que o dinheiro só dá para as despesas. Se é o seu caso, saiba que é sim possível poupar com pouco dinheiro se pensar na poupança como um conjunto de estratégias. Ou seja, poupar não é apenas colocar de lado parte do rendimento mensal. Pode começar já a poupar sem ter que mexer no seu rendimento. Como? Conheça a nossa lista de conselhos que o vão ajudar.

1. Organize o seu orçamento

Costuma anotar todas as suas despesas? Sabe quanto dinheiro lhe sobra no final do mês? Se a resposta for não, então saiba que esse é o principal erro para quem quer poupar. A organização é fundamental para saber exatamente para onde o seu dinheiro vai.
Por isso, comece por fazer um orçamento familiar detalhado. Pode fazê-lo num ficheiro Excel, numa aplicação móvel ou até num simples caderno. O importante é que o faça com regularidade. Depois, semanalmente ou mensalmente, faça uma revisão de tudo o que foi gasto e defina ajustes para o mês seguinte.
Deixamos-lhe um exemplo: imagine que no mês de março gastou 60€ em eletricidade. Será que, se adotar alguns comportamentos como desligar sempre as luzes quando não forem necessárias, evitar o ar condicionado ou  aparelhos eletrónicos, não consegue assim reduzir a fatura para 50€? Pode-lhe parecer pouco mas, no final do ano, são 120€ na sua poupança.
_
Leia também: 8 Dicas para poupar na fatura de eletricidade

2. Corte nas despesas desnecessárias

Se leu este título e pensou logo que não tem por onde cortar, pense novamente no assunto com mais atenção. Será que precisava de ter comprado aquela peça de roupa? Será que precisava de todas aquelas compras no supermercado? Olha para as suas despesas e pense se de facto são essenciais.
Uma boa dica é usar a regra dos 10 segundos. Imagine que está num shopping ou online a comprar roupa e viu um produto que gostou. Se em 10 segundos não conseguir responder porque precisa dele, então não compre. É uma regra muito simples mas muito eficaz. Quantas vezes já comprou coisas por impulso que depois usou pouco tempo ou nem tinham qualidade?
Este conselho pode-lhe parecer insignificante mas, mesmo que poupe só 20€ por mês, são 240€ no final do ano.
_
Leia também: 9 Truques para poupar dinheiro em roupa

3. Classifique as despesas em fixas e variáveis

Depois de organizar as suas despesas, é importante que as separe por fixas ou variáveis. As fixas são aquelas despesas em que o valor mensal não se altera. Aqui incluem-se, por exemplo, a mensalidade no ginásio, o serviço de TV e/ou internet, seguros, entre outros. As despesas variáveis, tal como o nome indica, são todas aquelas em que o valor varia consoante o consumo. Por exemplo: gasolina, luz ou compras do supermercado.
Ao separá-las, consegue analisar quais as despesas que precisam ser repensadas e reduzidas. Ou seja, se tiver uma despesa variável que num mês seja de 40€ e no mês seguinte já fique pelos 80€, é sinal que precisa de avaliar esse aumento tão significativo.
Por outro lado, também tem de repensar nas despesas fixas. Muitos são os consumidores que aderem a um serviço, como um seguro ou um pacote de telecomunicações, e depois ficam durante anos a pagar sempre o mesmo. O problema é que, nesses anos, muita coisa pode ter mudado e pode haver ofertas melhores na concorrência ou até no mesmo fornecedor do serviço.

4. Faça pesquisa de preços

Procure comparar sempre os preços dos produtos ou serviços antes de comprar. Faça várias pesquisas online e use o comparador de preços da DECO ou do KuantoKusta
Não se esqueça também de ter em atenção ao custo-benefício. Lembre-se que a qualidade do produto vai ditar a sua durabilidade. Deve também ter especial cuidado com eletrodomésticos pois vão consumir energia, analise sempre a etiqueta energética.

5. Aproveite cupões e época de descontos

Saldos, Black-Friday, promoções pontuais, cartões de desconto, vouchers…tudo conta para poupar. Se o produto que precisa de comprar pode esperar, então opte por ir acompanhando a variação de preços e comprar numa altura de promoções. Quanto às despesas, como compras de supermercado ou gasolina, procure usar os cartões de desconto dos diferentes estabelecimentos ou associações. Para além disso, antes de sair para comprar, habitue-se a pesquisar online pelos preços e avaliar onde compensa mais comprar.
_
Leia também: 6 Dicas de poupança para as suas compras em supermercados 

6. Consolide os seus créditos

Tem muitos créditos? Então avalie se lhe compensa consolidá-los. Ou seja, ao invés de ficar a pagar diferentes prestações, em diferentes momentos, com diferentes valores, passa a pagar uma única prestação com um prazo de pagamento fixo.
Através do Crédito Consolidado, conseguirá:

  • Uma redução considerável da prestação comparativamente ao valor pago anteriormente por todas as prestações. A redução do valor dos seus créditos pode chegar aos 50 ou 60%;
  • A aplicação de uma única taxa de juro inferior às anteriores;
  • Uma única data de pagamento: se possui várias prestações mensais com diferentes datas de pagamento, terá assim maior praticidade no pagamento dado que só terá uma prestação com uma data de pagamento fixa;
  • Aumento do prazo de pagamento.

É importante que aproveite estas vantagens e comece desde o início a tentar criar soluções, como uma poupança, por exemplo, que o salvaguardem de futuras situações financeiras mais frágeis. 
Para saber como deve fazer para consolidar os seus créditos, consulte o nosso artigo Crédito Consolidado: Juntar os seus Créditos? Saiba como o pode fazer! 

7. Use a tecnologia para o ajudar

Atualmente existem um conjunto de aplicações móveis que o podem ajudar a controlar os gastos ou a poupar. O primeiro conselho é utilizar com frequência a App do seu banco. Lá terá detalhado o saldo da conta e o respetivos gastos. Por isso, se ainda não a usa e só consulta os gastos numa caixa de multibanco, comece por criar o hábito de consultar com mais frequência no seu telemóvel ou no computador.
Depois, procure uma App que o ajude a criar objetivos de poupança e a anotar todas as despesas, incluindo aquelas que não são pagas através do seu cartão. Conheça a nossa sugestão de “6 Apps para gerir as suas finanças pessoais“.

8. Limite o uso do Cartão de Crédito

Para garantir que respeita o seu orçamento, é importante que gaste menos do que ganha. Esta é uma regra vital para assegurar uma maior estabilidade financeira.
Com o Cartão de Débito não consegue gastar mais do que realmente tem, mesmo que queira. Já com o Cartão de Crédito, é difícil respeitar esta regra porque o dinheiro não sai no imediato e ainda há o montante disponibilizado pelo banco. Por isso, evite usar o Cartão de Crédito caso não consiga controlar o seu impulso para comprar.
_
Leia também: 3 Razões para escolher o Cartão de Débito (e não de Crédito)

9. Poupe ao renegociar as dívidas

Se você possui dívidas, o ideal é que comece por organizá-as por prioridade. Ou seja, começar a pagar aquelas que possuírem juros mais altos. 
Depois, pode sempre tentar renegociar as dívidas com o credor. No caso das dívidas do Crédito Habitação, por exemplo, pode ainda avaliar a transferência do crédito para outro banco. Isso pode-lhe significar uma poupança muito significativa. Consulte este artigo para perceber quanto pode poupar ao transferir o Crédito Habitação e porque deve fazê-lo.
_
Leia também: Prescrição de Dívidas – Conhece todos os prazos?

10. Procure alternativas para ganhar mais dinheiro

Agora que já conheceu várias dicas para poupar, importa também perceber se pode aumentar o seu rendimento. Para aumentar o rendimento não tem que necessariamente mudar de emprego. Contudo, se isso faz sentido para si e não está satisfeito com a situação atual, então não se acomode e procure novas ofertas de emprego.
Se esse não é o seu objetivo, então procure pensar se consegue aumentar o seu rendimento através dos seus conhecimentos e talentos. Deixamos alguns exemplos: dar explicações, prestar os seus serviços profissionais para outras empresas em regime de freelancer, cozinhar para fora ou vender produtos congelados, vender peças de artesanato, arranjar pequenos eletrodomésticos, tomar conta de crianças ao fim de semana, organizar festas, costurar,
Consulte o nosso artigo “Ganhe um dinheiro extra a partir de casa” para ter mais ideias de como pode ganhar algum dinheiro com diferentes alternativas.

11. Faça o download do nosso eBook com 110 Dicas de Poupança

Informação é poder. Por isso, guarde o nosso eBook gratuito com 110 Dicas de Poupança e partilhe aí em casa com todos. São várias dicas para diferentes despesas essenciais como o carro, seguros, eletricidade, água, filhos, entre outros. Para além disso, ainda tem direito um ficheiro de Excel para controlar os seus gastos pessoais. Tudo isto é gratuito.
Não se esqueça também de nos continuar a acompanhar. É importante que conheça os seus direitos enquanto consumidor e que fique atento às alterações da legislação ou do mercado. A informação é essencial para conseguir poupar. Por isso, continue por aqui a ler os nosso conteúdos e junte-se a nós no nosso Canal de Youtube, na nossa Página e no Grupo de Facebook. Não se esqueça de subscrever a nossa newsletter para receber o resumo dos temas da semana.
_
Leia também: 8 Formas de desenvolver competências durante o confinamento

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes

Comentar

Outros Conselhos do Consultor

0 comentários

Trackbacks/Pingbacks

  1. Como fazer e gerir bem um Orçamento Familiar - Conselhos do Consultor - […] Leia também: 11 Conselhos de poupança para quem ganha pouco […]

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *