Será que compensa ter uma conta de serviços mínimos bancários?

Escrito por Conselhos do Consultor

25.03.21

}
5 min de leitura
Conta de Serviços Mínimos Bancários

Será que vale a pena ter uma conta de serviços mínimos bancários? Ou será que existem alternativas mais vantajosas?

A conta de serviços mínimos bancários é muitas vezes a opção mais procurada por normalmente não ter custos de manutenção nem anuidades. Segundo o Banco de Portugal, no final de 2020, existiam 129 586 contas de serviços mínimos bancários, o que representa um crescimento de 25% em relação ao final de 2019 e de 10,3% relativamente ao 1.º semestre de 2020.
Apesar da popularidade, será que a conta de serviços mínimos bancários vale a pena? Conheça a seguir todos os detalhes sobre esta conta, incluindo as vantagens e desvantagens.

Quem pode abrir uma conta de serviços mínimos bancários?

Qualquer pessoa pode aceder aos serviços mínimos bancários desde que não seja titular de uma conta de depósito à ordem. Contudo, caso tenha uma única conta de depósito à ordem, então pode convertê-la numa conta de serviços mínimos bancários.
Contudo, existem duas exceções:

  • Um cliente com outras contas de depósito à ordem pode ser contitular de uma conta de serviços mínimos bancários com outra pessoa. Porém, essa pessoa deve ter mais de 65 anos ou um grau de invalidez permanente igual ou superior a 60%;
  • O cliente que foi avisado de que a sua conta de depósito à ordem será encerrada, pode então solicitar a abertura de uma conta de serviços mínimos bancários.

Importa referir que todos os bancos devem disponibilizar aos seus clientes contas de serviços mínimos. Por isso, qualquer cliente que respeite as condições anteriores, pode informar o seu banco atual da sua intenção em aceder a este tipo de conta, não sendo necessário trocar de banco.
_
Leia também: Débitos Diretos: controla a sua conta bancária?

Quais são os serviços associados?

Segundo o Banco de Portugal, este tipo de conta dá acesso a um conjunto de serviços considerados essenciais e a custo reduzido:

  • Acesso a um cartão de débito para movimentar a conta;
  • Fazer depósitos, levantamentos, pagamentos de bens e serviços e débitos diretos;
  • Movimentar a conta através das caixas multibanco em Portugal e nos restantes Estados-Membros da União Europeia, do serviço de homebanking e dos balcões da instituição de crédito;
  • Realizar transferências intrabancárias (dentro mesma instituição bancária);
  • Realizar transferências interbancárias (para outra instituição bancária) sem restrição quanto ao número de operações que podem ser realizadas. Contudo, se forem transferências no homebanking, então existe um limite anual de 24 transferências interbancárias nacionais e na União Europeia;
  • Realizar transferências através de aplicações (apps) de pagamento operadas por terceiros (por exemplo, MBWay). Contudo, dentro do  limite de cinco transferências por mês e de montante igual ou inferior a 30 euros por operação.

_
Leia também: Já sabe quanto pagou de comissões bancárias em 2020?

Compensa ter uma conta de serviços mínimos bancários?

A resposta a este pergunta depende do seu perfil de cliente e, claro, das suas necessidades junto do banco.

Vantagens:
  • É económica: os bancos não podem cobrar pela prestação dos serviços mínimos bancários comissões, despesas ou outros encargos que, anualmente e no seu conjunto, representem um valor superior a 1% do valor do indexante dos apoios sociais (IAS). Ou seja, em 2021, o custo anual dos serviços mínimos bancários não pode exceder 4,38 euros (correspondente a 1% do IAS);
  • Simples e fácil de gerir: como é um conta com apenas os serviços essenciais, é mais fácil de gerir e controlar. Basicamente tem acesso ao seu cartão de débito e pode fazer operações como pagamentos, transferências, levantar dinheiro, etc. Como também só tem acesso ao seu saldo, evita gastar aquilo que não tem.
Desvantagens:
  • Menos serviços bancários: por dar acesso apenas aos serviços essenciais, ficam de fora vários serviços bancários. Contudo, pode contratar outros produtos e serviços não incluídos nos serviços mínimos, como depósitos a prazo, contas-poupança, cheques, crédito à habitação, cartão de crédito. No entanto, a contratação desses produtos e serviços poderá ter custos adicionais, uma vez que está sujeita às mesmas condições aplicáveis aos restantes clientes da instituição de crédito. Porém, deixamos a ressalva que a conta de serviços mínimos tem evoluído positivamente ao nível dos serviços que agrega.
  • Obriga ao encerramento de todas as outras contas bancárias: como vimos anteriormente, para ter um conta de serviços mínimos bancários, tem que fechar todas as outras contas de depósitos à ordem.

A conta de serviços mínimos bancários é ideal para quem precisa de uma conta bancária sem grandes complicações e que permita realizar as operações básicas. Para além disso, acaba por ser mais económica. Contudo, deve ter em mente que cada vez mais existem bancos que não cobram comissões bancárias nos principais serviços. Já existem bancos que não cobram comissões de manutenção, comissões de cartões ou comissões nas transferências bancárias. Ou seja, podem existir alternativas mais interessantes do que a conta de serviços mínimos bancários. Por isso, informe-se sempre das diferentes possibilidades antes de avançar.
_
Leia também: Comissões Bancárias: Estas são as comissões que o banco já não lhe pode cobrar!

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes

Comentar

Outros Conselhos do Consultor

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *