Não consegue poupar? Estas 5 fórmulas podem ajudar!

Escrito por Conselhos do Consultor

26.05.21

}
5 min de leitura
Fórmulas Poupança

Tenta poupar mas nunca consegue cumprir os seus objetivos? Conheça 5 fórmulas práticas que vão trazer mais disciplina ao seu método de poupança.

Poupar não é apenas para quem tem baixos rendimentos ou para quem tem algum objetivo específico como comprar um carro, por exemplo.  Mesmo que esteja numa situação financeira confortável, criar uma poupança é sempre uma boa estratégia para garantir a sua segurança financeira. Contudo, são muitas as pessoas que têm dificuldade em conseguir tornar este processo de poupança mais disciplinado.
Para ajudar, reunimos 5 fórmulas práticas indicadas pelo Ekonomista e baseadas em especialistas. O objetivo destas fórmulas é sistematizar a poupança, tornando o processo mais prático e fácil de aplicar.

1) Regra 50/30/20 para o Orçamento Familiar

Esta fórmula é a ideal para quem procura poupar mais, mas não consegue estabelecer limites entre os gastos e o valor que poupa mensalmente. Assim, o objetivo é dividir em três partes o destino dos rendimentos e definir máximos para gastos e uma percentagem mínima para poupar. De forma prática, deve aplicar a regra desta forma:

Despesas essenciais – 50%

Nestes 50% incluem-se as despesas fixas: renda, prestação do Crédito à Habitação, combustível, telefone, luz, água, entre outros gastos mensais. Atribui-se a percentagem maior a este grupo pois são as despesas que precisam mesmo de ser asseguradas e que ocupam uma grande parte do seu rendimento.

Despesas não essenciais – 30%

Para as despesas não essenciais, os 30% servem aqui como um limite que não pode ultrapassar. Ou seja, é natural que tenha gastos com diferentes momentos de lazer (cinema, jantares, entre outros), mas não deve ultrapassar os 30% do seu rendimento. Contudo, o ideal será mesmo ficar bem abaixo destes 30% se quiser poupar mais algum dinheiro.

Poupar – 20%

Ao contrário das percentagens anteriores que representam valores máximos, estes 20% para poupar é então o valor mínimo. Assim, deve guardar 20% do seu rendimento para criar a sua poupança. Pode começar por criar um fundo de emergência (caso ainda não o tenha) e quem sabe colocar esse dinheiro numa conta poupança ou num depósito a prazo. Seja qual for a sua opção, o ideal é que guarde esse dinheiro para que não fique tentado a usá-lo.
_
Leia também: 11 Conselhos de poupança para quem ganha pouco

2) Regra 20/4/10  para Comprar Carro

Esta regra aplica-se para quem precisa de comprar um carro, especialmente se for necessário recorrer a um crédito. Assim, deve seguir a regra desta forma:

Entrada – 20%

Quando decide comprar algo com um valor elevado, deve garantir que pelo menos tem algum dinheiro para dar de entrada. Neste caso do carro, deve então ter 20% do valor de entrada. Ou seja, se o carro custar 15 mil euros, deve ter consigo 3 mil euros. Se conseguir ter mais, melhor.

Prazo do empréstimo – 4 anos

O crédito automóvel deve ser igual ou inferior a 4 anos para que evite os efeitos dos juros. Deve ter especial cuidado em não assumir um crédito de muitos anos, especialmente se pretende contratar outros créditos no futuro.

Despesas correntes – 10%

O custo do carro não termina no momento da compra. Neste caso, as despesas com seguros ou combustível, por exemplo, não devem ultrapassar os 10% do seu rendimento.
_
Leia também: Comprar Carro: simule e descubra o carro mais barato por quilómetro

3) Regra 28/36 para Comprar Casa

Se tem como objetivo comprar uma casa, então provavelmente precisará de um Crédito à Habitação. Esta regra dos 28/36 é destinada a esses casos e funciona desta forma:

Despesas com a casa – 28% 

Os 28% correspondem à percentagem do rendimento que deve ser destinado às despesas fixas relacionadas com a habitação. Ou seja, despesas com a prestação mensal ao banco, impostos e seguros. No momento de assumir o Crédito à Habitação, tenha em consideração esta percentagem.

Teto para dívidas – 36%

Estes 36% são o limite para as restantes dívidas, à exceção do Crédito à Habitação. Ou seja, empréstimo para a compra do carro, cartões de crédito, pagamentos em prestações de compras ou serviços, por exemplo.
_
Leia também: 5 Dicas para preparar as suas Finanças Pessoais para o Crédito Habitação

4) Regra dos 10% para Poupar para a Reforma

Poupar para a reforma é algo que deve ser feito com antecedência. Por isso, esta regra define que 10% do seu orçamento seja destinado a poupar para a reforma. Pode fazê-lo através dos Planos Poupança Reforma (PPR) ou dos Certificados de Reforma. O mais importante é que olha para esta poupança a longo prazo para que consiga capitalizar mais dinheiro.
_
Leia também: Benefícios fiscais dos PPR: Quanto pode poupar no IRS de 2020?

Fórmulas para Poupar – O importante é começar!

Agora que já conhece cinco fórmulas práticas para poupar, comece já a testá-las e a perceber se são uma boa solução para o seu caso. E lembre-se que, seja qual for a sua situação atual, há sempre formas de conseguir poupar e reduzir os seus gastos. Quanto mais cedo começar, mais conseguirá poupar. Se for o caso, envolva a sua família nessa poupança.
Por fim, guarde o nosso eBook gratuito com 110 Dicas de Poupança para conhecer outras estratégias de poupança aplicadas às várias despesas: créditos, seguros, filhos, água, eletricidade, entre outras.
_
Leia também: 6 Apps para Gerir as suas Finanças Pessoais

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes

Comentar

Outros Conselhos do Consultor

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *