Crédito à Habitação: será que tem o melhor Seguro de Vida?

Escrito por Conselhos do Consultor

27.05.21

}
5 min de leitura
Melhor Seguro de Vida

Ter o melhor seguro de vida associado ao Crédito à Habitação pode ajudá-lo a poupar, mas também a garantir as coberturas que lhe conferem maior segurança. Descubra se tem o melhor seguro de vida e o que deve fazer se quiser mudar.

Ter um Crédito à Habitação implica, como condição habitual, contratualizar um seguro de vida. O objetivo deste seguro é garantir que, em caso de morte ou acidente, a casa fique paga. No momento de adesão ao Crédito à Habitação, a grande maioria das pessoas acaba por contratualizar o seguro de vida sugerido pelo banco onde contraiu o empréstimo. Contudo, muitas vezes só olham para o preço (prémio do seguro) e esquecem-se das outras condições importantes, como as coberturas e as exclusões. O problema disso é que acabam por ficar com um seguro de vida que muitas vezes não é a melhor opção ao nível do preço e das coberturas.
Neste artigo explicamos-lhe algumas condições que fazem toda a diferença no seguro de vida e também no valor a pagar.

Melhor Seguro de Vida: tem a cobertura IAD ou ITP?

Antes de lhe explicarmos o que é o IAD ou o ITP, importa referir que a cobertura de morte se encontra pré-definida num seguro de vida. Depois, para além dessa cobertura, encontra as coberturas IAD e ITP. E é sobre estas duas coberturas que existe um maior desconhecimento por parte das pessoas. Muitas não sabem que existem estes dois tipos de coberturas, outras só olham para o preço na altura de assinar e esquecem-se que há diferenças. Por isso, comece por entender em que diferem e depois não se esqueça de confirmar qual a cobertura que tem no seu seguro de vida.

IAD (Invalidez Absoluta e Definitiva)

O termo IAD refere-se à Invalidez Absoluta e Definitiva. Ou seja, é uma cobertura para os casos em que acontece um acidente/doença que impossibilite a pessoa de trabalhar, sendo ainda necessário ter assistência por parte de terceiros para as suas atividades básicas (comer, vestir, andar, entre outras). Neste caso, incluem-se as pessoas que ficam em estado vegetativo e totalmente dependentes de terceiros.

ITP (Invalidez Total e Permanente)

O termo ITP refere-se à Invalidez Total e Permanente. Ou seja, é também uma cobertura para os casos em que acontece um acidente/doença, deixando a pessoa sem conseguir exercer uma atividade remunerada. Neste caso, o grau de invalidez deve ser igual ou superior a 60% (esta percentagem pode variar consoante a seguradora). São então as pessoas que, após um acidente ou doença, deixam de trabalhar mas permanecem autónomas.

Qual é a melhor?

O seguro com cobertura ITP é mais abrangente do que o IAD porque impõe um menor grau de incapacidade para ser acionado. Como é mais abrangente, o seguro de vida com ITP pode ser mais caro, mas isso não é regra geral. Contudo, na hora de escolher precisa de ter em consideração a sua segurança e da sua família. 
Existe maior probabilidade de necessitar de acionar o ITP do que o IAD e isso é um fator muito importante. Por exemplo, uma pessoa com uma doença como cancro e com 80% de incapacidade fica impedida de trabalhar, mas não fica dependente de terceiros. Ou seja, continua a conseguir realizar as suas atividades básicas, apesar dos 80% de incapacidade. Para esses casos, que são mais frequentes, a cobertura do IAD não pode ser acionada.
Relativamente ao Crédito à Habitação, a escolha entre o ITP e o IAD tem naturalmente diferentes implicações na prestação a pagar. O que normalmente acontece é que as entidades bancárias propõem a opção de seguro de vida com IAD. E é nesta situação que o cliente deve ter especial atenção em ler todas as disposições presentes na cláusula do contrato antes de aceitar. O seguro de vida é muito importante para prevenir incidentes no futuro e por isso não pode olhar só para o preço. Deve garantir a sua segurança e da sua família.
_
Leia também: Seguro de vida, todas as respostas

Mude de seguro para um com melhores condições

Analise com cuidado os detalhes da cláusula do contrato sobre o seu seguro de vida. Caso não possua nenhuma documentação, então procura saber junto do banco ou da seguradora quais as coberturas que tem contratadas e qual o respetivo prémio.
Depois, tente comparar com outras opções existentes no mercado. Um dos maiores mitos sobre o seguro de vida é que tem de ser feito no banco onde contrata o Crédito à Habitação e que assim deve permanecer. Contudo, o  Decreto-Lei n.º 222/2009 veio trazer importantes alterações no que diz respeito à celebração dos contratos de seguro de vida.  Assim, desde 2009 que pode escolher onde fazer o seguro de vida. Para além disso, também pode decidir transferir o seguro para outra seguradora com melhores condições. E qual é a importância disto? O impacto positivo que pode ter no preço e nas condições do seguro. 
Lembre-se que falamos aqui de um contrato de muitos anos e por essa razão a poupança pode ser muito significativa. Para além disso, analise com atenção as coberturas. Infelizmente existem muitos casos de famílias que, por não conhecerem as duas coberturas, IAD e ITP, ficaram numa situação complicada após algum incidente.
O nosso último conselho é que comece por pedir uma simulação gratuita. Assim recebe uma proposta de seguro com as condições adequadas ao seu caso e decide se lhe compensar mudar. Se decidir avançar, pode contar com a ajuda dos nossos parceiros para agilizar a transferência do seguro, cumprindo todas os requisitos legais.
Não deixe de assistir ao episódio dos 3 Consultores com o Pedro Andersson sobre o seguro de vida “bom” e o seguro de vida “mau”:

_
Leia também: Poupe ao transferir o Seguro de Vida do Crédito Habitação

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes

Comentar

Outros Conselhos do Consultor

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *