6 Questões que deve saber responder antes de comprar casa

Escrito por Cláudia Oliveira

13.06.22

}
6 min de leitura
Comprar Casa

Está a pensar comprar uma casa? Antes de avançar, é importante garantir que conhece as implicações dessa decisão, especialmente se necessitar de crédito à habitação.

Comprar casa exige um grande investimento para a maioria das famílias. Este é uma decisão que deve ser bem ponderada, especialmente se for necessário recorrer a um empréstimo. Na grande parte dos casos, o crédito à habitação exige um esforço mensal muito significativo que poderá durar anos. Para além disso, a compra da casa também exige algum capital inicial disponível. Adicionalmente ao esforço financeiro, é também preciso ter alguns cuidados na escolha da casa para evitar surpresas no futuro. Neste artigo reunimos as principais questões que deve ter em consideração antes de comprar uma casa.

6 Questões que deve saber responder antes de comprar casa

1) Qual é limite do seu orçamento?

Parece algo óbvio, mas muitas vezes esta questão não é colocada logo no início. Sabe exatamente quanto dinheiro tem disponível para a compra da casa? Os bancos não financiam a compra de casa a 100%. O financiamento pode variar entre 80 a 90%, o que exige aos clientes o pagamento do restante, ou seja, a entrada. Para além disso, ainda vai ter que contar com os custos com impostos, escritura e outras burocracias. O nosso conselho é simples: primeiro saiba quanto tem para gastar, depois inicie a procura da casa. Isso vai evitar que visite casas que ultrapassam o limite do seu orçamento.

Depois, deve calcular a sua taxa de esforço para perceber o valor da prestação mensal do crédito habitação que consegue suportar. Não se esqueça que o banco também irá fazer essa avaliação. Depois de ter tudo isto em mente, deve então procurar casa, sendo o mais realista possível.

2) Como está a sua situação profissional?

Ao solicitar um crédito habitação, o banco irá fazer uma avaliação rigorosa à sua solvabilidade. Ou seja, vai avaliar a sua situação profissional, rendimentos, idade, entre outros fatores. É através desses indicadores que o banco decide se aprova ou não o crédito habitação e as condições associadas. Se a sua situação profissional for instável, isso pode dificultar o processo. Trabalhadores independentes ou trabalhadores há pouco tempo numa empresa, por exemplo, representam um risco superior. O crédito habitação até pode ser aprovado, mas pode ser necessário alguma garantia, como um fiador, por exemplo. Se existirem dois titulares e só uma deles estiver nessa situação, isso pode ser uma boa ajuda.

_

Leia também: Crédito Habitação para Trabalhadores Independentes – O que deve saber

3) Quais são os impostos a pagar?

Para além do valor da entrada, é preciso contar os custos com os impostos associados à compra da casa. Infelizmente ainda existe uma grande fatia dos portugueses que não incluem os impostos nas suas contas para comprar casa e depois têm uma surpresa negativa. Por isso, não se esqueça de contar com:

  1. Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis (IMT)
  2. Imposto de Selo (IS)
  3. Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI)

_

Leia também: Comprar Casa: quais são os impostos a pagar?

4) Quanto custa a escritura?

A escritura é mais uma despesa inicial que terá de ter em conta no seu orçamento. A escritura é o último passo na compra de um imóvel e nada mais é de que um contrato que estabelece a venda entre as duas partes (vendedor e comprador). Cabe ao comprador assumir o pagamento da escritura. O valor da escritura varia consoante o local onde é realizada e se existe ou não crédito habitação. Por exemplo: no Balcão Casa Pronta o valor da escritura varia entre 375€ (sem crédito) e 700€ (com crédito).

_

Leia também: Comprar Casa – Quanto custa a escritura?

5) O que é preciso saber para escolher o crédito habitação?

As propostas de crédito habitação não são iguais em todos os bancos. Por isso, é preciso saber analisar e comparar diferentes propostas antes de aceitar. Eis os cuidados que deve ter:

  • Saber o que é a TAEG e o MTIC: estes dois indicadores refletem todos os custos do crédito como juros, comissões, seguros e outros encargos associados. Deve usar estes indicadores para comparar diferentes propostas e escolher a mais vantajosa. Pode encontrar a TAEG e o MTIC na FINE (Ficha de Informação Normalizada Europeia), que é um documento que contém todas as informações sobre o crédito;
  • Entender a diferença e o impacto da Taxa Fixa, Taxa Variável e Taxa Mista: nos créditos com taxa fixa, a taxa de juro não varia durante o prazo de pagamento acordado. Ou seja, o cliente paga sempre a mesma prestação mensal. Na taxa variável, a taxa de juro varia consoante a Euribor. A taxa mista nada mais é do que a combinação da taxa variável com a taxa fixa. Na contratação do crédito habitação vai precisar de escolher uma destas taxas;
  • Perceber o impacto do prazo do empréstimo: créditos com prazos mais longos têm prestações mais baixas, mas podem ficar mais caros pois paga juros durante mais tempo. O melhor prazo será sempre aquele que se adequa à sua situação atual;
  • Saber analisar as condições do Seguro de Vida: vai precisar de contratar um seguro de vida que servirá de garantia para o banco, mas também para si. Deve saber quais são as coberturas do seguro de vida e qual é a mais vantajosa;
  • Comparar as vantagens/desvantagens da aquisição de outros produtos: os bancos podem sugerir a aquisição de outros produtos financeiras como forma de reduzir o spread e outros custos (são as chamadas “vendas facultativas”). Entre esses produtos pode estar o cartão de crédito, por exemplo.

Se precisar de ajuda para encontrar o melhor crédito habitação, preencha este formulário e fale connosco (é gratuito). Trabalhamos com uma rede de parceiros prontos para encontrarem o melhor crédito habitação para o seu caso.

_

Leia também: Como escolher a melhor proposta de Crédito à Habitação?

6) O que é um intermediário de crédito e qual a sua importância na compra de casa?

Um intermediário de crédito participa diretamente no processo de concessão de crédito com o objetivo de alcançar um entendimento entre o cliente e o banco. A função do intermediário é apresentar propostas de crédito adequadas ao seu caso, negociar as condições com o banco e simplificar e agilizar toda a burocracia. Por terem experiência neste âmbito, os intermediários têm mais facilidade em negociar com o banco e isso pode fazer a diferença nas condições que vai conseguir para o seu crédito habitação.

Na grande maioria dos casos, o intermediário recebe do banco e não cobra qualquer valor ao cliente. Ainda são muitas as pessoas que não recorrem a um intermediário por acharem que é mais um custo a suportar, o que nem sempre se verifica. Para evitar qualque tentativa de fraude, deve sempre verificar as listas dos intermediários autorizados do Banco de Portugal antes de acordar qualquer serviço.

_

Leia também: Crédito à Habitação – A importância de ter um Intermediário de Crédito

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes

Comentar

Outros Conselhos do Consultor

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.