Como promover a literacia financeira nos jovens?

Escrito por Cláudia Oliveira

17.06.22

}
5 min de leitura
Literacia Financeira Jovens

A promoção da literacia financeira nas crianças e jovens permite a preparação da vida a adulta e fomenta uma relação saudável com o dinheiro.

A fraca literacia financeira em Portugal é um problema mais do que provado. Não é por acaso que literacia financeira dos portugueses está em último lugar, entre os 19 países da zona euro, segundo o ranking do Banco Central Europeu (BCE), de 2020. As dicas para reduzir este problema são várias, incluindo a necessidade de incutir aos mais jovens a importância de saberem gerir o dinheiro. Quanto mais cedo aprenderem, mais fácil será manter a saúde financeira na idade adulta. Neste artigo reunimos algumas dicas práticas que podem ajudar a promover a literacia financeira nos mais novos.

Como aumentar a literacia financeira nos jovens?

DICAS PARA OS PAIS

A literacia financeira necessita de ser introduzida de forma gradual na vida das crianças e jovens. Ou seja, é necessário adaptar a linguagem e acompanhar a evolução dos filhos. Falar para uma criança de 6 anos não é a mesma coisa do que falar para um jovem de 15 anos. Por isso, e antes de conhecer as nossas dicas, tenha em consideração a necessidade de adaptar as dicas à idade dos seus filhos.

Para fomentar a literacia financeira nos jovens existem algumas práticas simples que pode adotar:

  • Fale de dinheiro de um forma natural: muitas vezes, em diferentes contextos sociais, a criança pode ficar com a percepção que o dinheiro é algo negativo, que só traz problemas aos adultos. É importante que a criança tenha uma ideia mais prática e natural sobre o dinheiro. Deve entender que o dinheiro é algo necessário porque permite à família comprar a comida, pagar as contas da casa e por aí fora. Ou seja, é um meio através do qual é possível ter qualidade de vida e não o “mau da fita”. Por isso, tenha algum cuidado na forma como fala do dinheiro, das despesas da casa e dos problemas financeiros. Também deve dedicar algum tempo a explicar alguns conceitos de finanças, especialmente aos mais crescidos. Coisas como impostos, juros, créditos ou investimentos devem ser descodificadas desde cedo;
  • Ofereça um mealheiro: um mealheiro é sempre uma boa forma de iniciar os filhos na poupança, mesmo os mais novos. Mas não se limite a oferecer o mealheiro. Explique-lhe as possibilidades de utilização. O mealheiro pode servir para ir poupando de uma forma aleatória e sem qualquer objetivo, ou então para algo específico. Vamos imaginar que o seu filho quer comprar um determinado jogo. Nesse caso, é preciso definir uma meta de poupança a atingir e assumir um compromisso. Desta forma a criança vai entender a importância de poupar;
  • Defina uma mesada ou semanada: esta forma de dar dinheiro aos seus filhos, com dia e valor certo, vai permitir-lhes saber gerir o dinheiro. O seu filho passa a ter um orçamento para aquele mês ou semana. A partir daí, sabe que esse dinheiro tem que chegar para comprar as senhas de refeição, lanches ou até pequenos caprichos como doces. Mas atenção, pode ir mais além nesta questão. Explique-lhe que ele pode optar por guardar 10% do valor que recebe no mealheiro e quais as vantagens disso;
  • Envolva os seus filhos nas despesas familiares: os filhos devem perceber como se pode reduzir as despesas com água, luz e por aí fora. Por isso, deve explicar-lhes que determinados hábitos de consumo fazem toda a diferença no dinheiro que vai sobrar no final do mês. Numa ida às compras também devem aprender a escolher e a comparar os produtos;
  • Ofereça algum livro ou jogo sobre finanças: procure estimular o interesse dos seus filhos neste tema. Por vezes um pequeno vídeo no youtube pode fazer a diferença. Existem também vários livros sobre finanças que ajudam nessa tarefa, assim como jogos de tabuleiro (por exemplo o “MoneyLab” da Bárbara Barroso).

 

Faça o download do nosso eBook gratuito com 110 Dicas de Poupança e partilhe aí em casa com todos. São várias dicas para diferentes despesas essenciais como o carro, seguros, eletricidade, água, filhos, entre outros. Para além disso, ainda tem direito um ficheiro de Excel para controlar os seus gastos pessoais. 

_

Leia também: Fundo de Emergência: saiba como criar e qual o valor que deve poupar

DICAS PARA AS CRIANÇAS/JOVENS

Para os mais novos, a DECO elaborou algumas dicas práticas e fáceis de aplicar:

  1. Assume a liderança das tuas finanças!
  2. Negoceia com os teus pais um valor para uma semanada ou mesada;
  3. Foca-te no essencial;
  4. Define um montante para a poupança e estabelece os objetivos que queres alcançar, é mais fácil poupar com uma meta definida – “quanto preciso e para quê?”;
  5. Evita ceder aos apelos do consumo, ‘cool’ não é sinónimo de gastar muito dinheiro;
  6. Guarda 10% do dinheiro que recebes, quer sejam 5 ou 50 euros. “Chapa ganha, chapa gasta” não é de todo uma boa solução!
  7. Instala uma app de poupança: um bom personal trainer financeiro ajuda no exercício de poupar;
  8. Ganha dinheiro com as tuas capacidades, dá asas à tua criatividade;
  9. Compromete-te com a tua família a reduzir as faturas; está atento ao pacote de telecomunicações: recorre mais ao wi-fi e menos aos dados movéis;
  10. Reinventa as tuas refeições em família: procura ideias em blogues de refeições saudáveis e low-cost;
  11. Escolhe produtos “mais leves” no preço: pesquisa e compara em lojas físicas e online;
  12. Para a escola leva sempre a lancheira e assim pouparás na carteira.

No canal do Youtube do DECOJovem é possível assistir a um conjunto de vídeos sobre literacia financeira destinada às crianças e jovens.

_

Leia também: Como fazer e gerir bem um Orçamento Familiar

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes

Comentar

Outros Conselhos do Consultor

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.