Como poupar mensalmente com a regra 50/30/20?

Escrito por Conselhos do Consultor

22.11.23

}
4 min de leitura
Poupar mensalmente com a regra 50,30,20

Para quem tem dificuldades em poupar mensalmente, estabelecer um método prático pode ser uma boa ajuda. Entenda como a regra do 50/30/20 pode ser útil.

Não é novidade que existem várias dicas e conselhos de poupança. Acontece que muitas pessoas têm dificuldade em conseguir tornar o processo de poupança mais disciplinado e organizado. Para esses casos, ter um método mais prático pode fazer a diferença. É nesse sentido que surgiu a regra do 50/30/20, apresentada no livro de finanças “All Your Worth: The Ultimate Lifetime Money Plan“. Esta regra é especialmente importante para quem procura poupar mais, mas não consegue estabelecer limites entre as despesas e o valor a poupar.

Poupar mensalmente – Como funciona a regra 50/30/20?

O objetivo da regra 50/30/20 é dividir o rendimento líquido em três categorias: despesas essenciais, despesas não essenciais e poupança. Para cada uma destas categorias é atribuída uma percentagem que deve ser respeitada.

Poupar mensalmente com regra 50,30,20 (ConselhosdoConsultor)

Despesas essenciais – 50%

Nestes 50% incluem-se as despesas essenciais, ou seja, as despesas que tem mesmo de pagar: renda, prestação do crédito habitação ou qualquer outro crédito, combustível, telefone, luz, água, entre outros gastos fixos mensais. Atribui-se uma percentagem maior a este grupo pois engloba as despesas que precisam mesmo de ser asseguradas e que ocupam uma grande parte do orçamento familiar.

Despesas não essenciais – 30%

Para as despesas não essenciais, os 30% servem aqui como um limite que não pode ultrapassar. Aqui incluem-se todas aquelas despesas não necessárias ou mais supérfluas, como é o caso das refeições fora casa, férias, cinema ou qualquer outro momento de cultura ou lazer. A dica é respeitar os 30% e, sempre que possível, ficar abaixo desse limite para conseguir poupar mais algum dinheiro.

Poupança – 20%

Ao contrário das percentagens anteriores que representam valores máximos, estes 20% para poupar é a percentagem mínima. Assim, deve guardar 20% do seu rendimento para criar uma poupança. Pode começar por criar um fundo de emergência (caso ainda não o tenha) e quem sabe aproveitar esse dinheiro para investir num produto financeiro, como é o caso do Plano de Poupança para a Reforma (PPR). Seja qual for a sua opção, o mais importante é colocar esse dinheiro de lado.

Se existirem dívidas, uma parte desta percentagem dos 20% também pode ser alocada ao pagamento desses encargos.

Como colocar em prática esta regra?

Para colocar em prática esta regra vai precisar de ter um orçamento familiar. É este orçamento que lhe vai permitir controlar todas as despesas e ter uma boa gestão financeira. Entre outras vantagens, o orçamento familiar permite-lhe:

  • Registar todos os rendimentos;
  • Registar e controlar todas as despesas;
  • Identificar possibilidades de poupança e/ou investimento;
  • Tomar decisões informadas e ponderadas quando precisar de fazer uma escolha importante como contrair um crédito, por exemplo;
  • Ter consciência financeira: com tudo controlado e registado, é mais fácil ter uma avaliação realista da situação das suas finanças. Essa consciência é ainda mais importante para antecipar eventuais problemas financeiros e assim tomar as medidas necessárias.

Para criar um bom orçamento familiar aconselhamos que consulte:

Com o orçamento criado consegue saber exatamente como distribuir as percentagens dos rendimentos e o quão fácil ou difícil será cumprir os tais limites 50/30/20. É normal que nos primeiros meses tenha alguma dificuldade em cumprir o método. Também pode ser necessário ajustar as percentagens à sua realidade. Por exemplo: para um rendimento mensal de 1200€, e seguindo a regra 50/30/20, deveria dedicar 600€ para as despesas essenciais, 360€ para as despesas não essenciais e 240€ para a poupança. Contudo, pode ser necessário dedicar uma percentagem maior para as despesas essenciais. Também pode querer dedicar uma percentagem maior à poupança.

Importa também explicar que esta regra não é só de aplicação individual, ou seja, deve ser aplicada aos rendimentos totais do agregado familiar. Para além disso, numa situação em que só existe um baixo rendimento individual e há encargos significativos como renda ou crédito habitação, esta regra tem mesmo que ser ajustada. O importante aqui é começar e experimentar até encontrar a melhor fórmula para conseguir poupar mensalmente e cumprir os objetivos estipulados.

A par da aplicação da regra 50/30/20, pode e deve alterar alguns hábitos para conseguir baixar as despesas essenciais e não essenciais. No nosso eBook gratuito com 110 Dicas de Poupança encontra vários conselhos práticos e ainda um modelo de Excel de controlo de gastos pessoais ou familiares.

_

Quer receber os nossos artigos em primeira mão? Junte-se ao nosso grupo de WhatsApp ou Telegram!

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes

Comentar

Outros Conselhos do Consultor

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *