Crédito Habitação: 5 dicas para baixar a taxa de esforço

Escrito por Cláudia Oliveira

27.05.22

}
5 min de leitura
Baixar taxa esforço

A taxa de esforço é um dos indicadores analisados pelo banco antes da aprovação do crédito habitação. Se ultrapassar o limite aconselhável, o crédito habitação pode não ser aprovado.

A taxa de esforço é um dos indicadores que permite ao banco analisar a sua situação financeira atual e saber qual é a percentagem do rendimento que “sobra” no final do mês. Quando a taxa de esforço é elevada, isso significa que uma grande parte do rendimento está a ser alocada ao pagamento de outros encargos mensais. Nesse caso, isso pode implicar a não aprovação do crédito habitação.

O que é a Taxa de Esforço?

A taxa de esforço resulta da relação das despesas mensais e do rendimento mensal líquido:

(Total de Encargos Mensais / Rendimento Mensal Líquido) x 100 = Taxa de Esforço (em percentagem)

Nesta fórmula consideramos todos os encargos mensais (encargos bancários + despesas domésticas). Contudo, pode apenas calcular a taxa de esforço aplicada aos encargos bancários (valores dos créditos) e perceber a parcela que ocupam no seu rendimento. Para conhecer a sua taxa de esforço, use gratuitamente a nossa Calculadora da Taxa de Esforço. Não é aconselhável que a taxa de esforço seja superior a 30%, embora alguns bancos possam aceitar uma taxa de esforço superior.

Assista ao 6º Episódio dos 3 Consultores onde explicamos melhor as diferentes Taxas de Esforço, incluindo a DSTI ( Debt Service-to-Income) que é utilizada na avaliação de solvabilidade dos clientes para a concessão de crédito.

_

Leia também: Como Calcular a Taxa de Esforço

5 Dicas para baixar a Taxa de Esforço

1) Organize seu orçamento familiar

Já tem um orçamento familiar? Se ainda não tem, então o primeiro passo é criar um. Isso vai permitir-lhe ter uma visão detalhada de todas as despesas mensais. Ao saber exatamente para onde está a ir o seu dinheiro, também consegue saber exatamente onde é possível fazer algum reajuste.

Consulte o nosso artigo “Como fazer e gerir bem um Orçamento Familiar” para saber como criar um orçamento familiar.

2) Consegue reduzir algumas despesas?

Depois de ter o orçamento familiar, é preciso repensar alguns gastos. Será que consegue reduzir a fatura de eletricidade ou da água? E nas compras do supermercado? Tem utilizado os seguros que contratou? Há quanto tempo não revê as coberturas? No meio de tantas despesas mensais, há certamente algumas que podem ser reduzidas. Primeiro, é importante que saiba separar as despesas essenciais das não essenciais. Depois, é preciso tomar algumas ações para reduzir cada uma dessas despesas. Mesmo as despesas essenciais, como a água ou a luz, podem ser reduzidas se mudar alguns hábitos de consumo em casa.

_

Leia também: 8 Dicas Fundamentais para Poupar em 2022

3) Termine de pagar os créditos atuais

Esta é a dica que pode ter um impacto mais significativo para baixar a taxa de esforço. Se tem outros créditos, talvez seja melhor liquidar primeiro esses créditos (ou amortizar) antes de contratar o crédito habitação. Esta opção nem sempre é viável para todas as famílias pois é preciso ter algum dinheiro disponível. Para além disso, é preciso analisar as condições de amortização junto do banco. Em todo o caso, se conseguir liquidar os créditos, isso é bom para baixar a sua taxa de esforço e para lhe dar algum alívio mensal.

4) Pondere consolidar os créditos

Caso não consiga liquidar os créditos, pode tentar a consolidação, ou seja, juntar todos os créditos num só. Imagine que tem um crédito pessoal e a dívida do cartão de crédito. Neste caso, consegue agregar todas as mensalidades e pagar apenas uma mensalidade.

Através do crédito consolidado consegue uma redução considerável da prestação comparativamente ao valor pago anteriormente por todas as prestações (a redução pode chegar aos 50 ou 60%). Para além disso, também pode conseguir uma taxa juro inferior às anteriores. Resultado disto? A sua taxa de esforço é reduzida e consegue ter liquidez adicional.  Em todo o caso é importante fazer contas pois o crédito consolidado também pode implicar o aumento do prazo de pagamento, ou seja, mais tempo a pagar juros.

_

Leia também: Como escolher o melhor Crédito Consolidado?

5) Tente renegociar os créditos

Renegociar os créditos nada mais é do que tentar alterar as condições do(s) crédito(s). Deve procurar o seu banco e tentar, por exemplo, baixar a taxa de juro ou prolongar o prazo do crédito. Estas duas opções vão permitir reduzir a prestação mensal, o que logicamente também influencia a taxa de esforço. Mais uma vez: faça sempre contas e avalie se a opção que o banco lhe apresenta é vantajosa.

_

Leia também: Renegociar ou Consolidar Créditos – Qual a melhor opção?

Crédito Habitação – Prepare-se e peça ajuda!

As boas escolhas de hoje, são as boas escolhas de amanhã. Pedir um Crédito Habitação é talvez o maior passo que vai dar na sua vida financeira.  Não hesite em pedir ajuda para fazer a escolha mais segura e vantajosa para si ou para a sua família.

Preencha este formulário e fale connosco (é gratuito). Temos um vasta rede de parceiros prontos para o ajudar a encontrar o melhor Crédito Habitação para o seu caso.

_

Leia também: Crédito Habitação: 7 condições que influenciam a aprovação do crédito

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes

Comentar

Outros Conselhos do Consultor

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.